Açude seco e rachado - Oração Nordeste Já!

Este é o açude da comunidade Macacos aqui na cidade de Currais Novos/RN, que se encontra completamente seco e rachado. Fizemos uma oração neste lugar, clamando ao SENHOR por chuva nesta região, e algumas horas depois (PARA HONRA E GLÓRIA DO NOME DE JESUS) uma grande nuvem carregada fixou em cima da comunidade e choveu forte (APENAS NA COMUNIDADE, ESTAVA SEM NUVENS AO REDOR) por em média 15 minutos, e naquele lugar o SENHOR me mostrou quão grandes coisas ELE pretende realizar.
Clamem ao SENHOR e ELE ouvirá.


Os desafios do sertão Nordestino




1. O Sertão cresceu de tamanho – sua população desde os idos de 1937 para cá tem crescido, apesar do êxodo rural.
2. Os desafios missionários e a necessidade de se levar o evangelho a essa gente nunca diminuiu e não transferido para ninguém: “Continua sobre os nossos ombros”.
3. Há muita gente escolhida por Deus, muitos eleitos do Senhor que precisam ser alcançados pela Igreja do Senhor Jesus. Muita gente inteligente, muita gente dotada de dons e talentos e essas pessoas cheias do Espírito Sato, vocês não têm ideia do que serão capazes de fazer para a Glória de Deus!

Vejamos aqui alguns detalhes dos desafios missionários do Sertão Nordestino nos nossos dias:

     1) Nós temos no Nordeste quase 400 municípios com menos de 1,0% de evangélicos. Segundo alguns pensadores em missiologia, um povo com 1,0% ou menos do que isso é considerado povo não alcançado pelo evangelho. Então partindo desse princípio podemos dizer que temos no Nordeste quase 400 municípios não alcançados pelo evangelho.
     2) O pequeno percentual de crentes que encontramos nesses municípios encontra-se necessariamente na zona urbana, isto é: na sede dos municípios;
     3) Conseguimos encontrar com certa facilidade povoados onde não há nenhuma igreja evangélica, sítios onde nunca passou alguém antes pregando o evangelho, onde na verdade pela primeira vez na história alguém passa com uma Bíblia na mão!
     4) Conseguimos encontrar, normalmente, pessoas sedentas para ouvir a Palavra de Deus. Um dia de arar, lavrar ou tombar a terra como alguns chamam no interior, é um dia muito importante. No entanto vimos casos em que famílias inteiras abandonaram o campo e correm para casa porque os crentes estavam visitando todas as casas daquela região e alguém viu que os crentes estavam indo para as bandas da sua casa e eles deixaram a roça e correram para esperar os crentes, pois eles queriam ouvir o que os crentes tinham para dizer.
     5) Também conseguimos encontrar com facilidade sertanejos que vivem “rezando” para Deus mandar um crente por lá.
     6) Nas situações como falamos existe um universo de 15,5 milhões de pessoas. Mesmo considerando a posição de alguns defensores de missões urbanas por considerarem ser grande o êxodo rural, havemos de convir que um universo de 15,5 milhões de pessoas ainda é um número considerável, por outro lado a velocidade do êxodo ainda é pequena em relação a explosão demográfica, e temos que considerar o efeito maléfico para o sertanejo porque o êxodo o torna em favelado. Nos próximos 15 anos muita gente estará fazendo o caminho de volta dos grandes centros em busca de cidades emergentes do interior. No caso do êxodo do sertão ele tem um direcionamento: Rio ou São Paulo por causa do emprego. – Concluindo: Por todas as razões citadas temos que entender que avançar com a Igreja rumo à zona rural do Sertão Nordestino é um imperativo!!!! – Urgente!!! Porém:

     a) O desafio do sertão não é somente evangelizar e plantar novas igrejas na zona rural;
     b) A zona urbana do Sertão Nordestino também clama por socorro. As igrejas precisam de ajuda, de treinamento, de mobilização, motivação, capacitação;
     c) A igreja do Sertão sofre muito com o êxodo de seus membros que vão embora para o eixo Rio São Paulo;
     d) Os investimentos que as igrejas do Sertão faz, com muito sacrifício, ao enviar seus seminaristas para estudarem nas capitais tornam-se infrutíferos, pois muitos não voltam sequer para a sua região, muito menos para a sua igreja;
     e) As pessoas que trabalham com crianças não dispõem de treinamento, de material e muito menos de motivação, na grande maioria dos casos;
     f) A escassez de recursos, muitas das vezes o sustento aquém do necessário, o grande peso espiritual, são fatores que contribuem decisivamente para a apatia de muitos ministérios nas igrejas do Sertão;
     g) A falta de uma preparação adequada de obreiros para as áreas inóspitas também se constitui num grande problema, pois os seminários não preparam as pessoas para desenvolverem ministério em situações assim.

A maior dificuldade para se alcançar o Sertão Nordestino com o evangelho é ver a Região Metropolitana dos Estados do Nordeste como uma forte BASE ENVIADORA. As igrejas reúnem muitas condições para ser um Pólo Enviador, mas:

  1. Não há conjunto!
  2. Não há um desprendimento para enxergar missões como uma questão de obediência, e assim missões está virando mais um modismo, mais uma atividade no calendário eclesiástico; Logo após a conferência missionária, onde o preletor falou apaixonadamente sobre os desafios do campo, muitas vezes no encerramento da própria conferência já se começa a fazer os anúncios da próxima festa de aniversário seja lá do que for.
  3. Numa conferência missionária, hora de levantar ofertas há grande estímulo, grande ênfase nas Escrituras, mas na hora de contribuir para missões os argumentos do “aperto orçamentário” são muito contundentes. Existem casos de missionários que, estando no campo, vê seu sustento despencar através de uma carta ou um telefonema sob a alegação de que a igreja está entrando numa fase de construção.
  4. Os fatores citados nos itens 2 e 3 não são impercebíveis, mas não são questionados;
  5. Compaixão é figura de retórica;
  6. Interesse e gemidos pela expansão da obra missionária e salvação de almas é matéria encontrada em histórias do século XVIII.


   7. As dificuldades para responder a esse desafio são:

     a) A disposição de muitas igrejas de investirem em um campo onde não haverá retorno rápido, onde não haverá condições de auto-sustento do campo em médio prazo nem em longo prazo.
     b) A falta de obreiros dispostos a morarem no campo, isto é: na própria zona rural.
     c) Falta de um trabalho consistente de intercessão pelo sertão com orações específicas.
     d) Falta de recursos para se financiar o avanço da igreja. Muitas igrejas quando ajudam a um missionário esquecem que além de suas despesas com a família, seu sustento pessoal tem também que desenvolver o ministério e para isso ele tem despesas, e, portanto, muitas vezes, tira do seu próprio sustento pessoal para cobrir despesas com o ministério. Entendemos que falta um conhecimento mais detalhado de FINANÇAS DE MISSÕES.
     e) Falta também um conhecimento “in loco” da realidade sertaneja. Temos provas de que todos os pastores que visitam os campos têm um contato direto com os nossos desafios missionários no sertão, tornam-se mais sensíveis, e lhes afirmo: Isso é o começo da mudança! – Não basta conhecimento, é preciso haver sentimento!


Vou me despedir de vocês por aqui nestas palavras, ma creiam os irmãos, enquanto o Senhor nos favorecer com saúde haveremos de lutar pelo alcance do nosso povo com o evangelho, mas vamos celebrar nos próximos anos, nas nossas próximas conferências missionárias, sempre os mesmos números, sempre afirmando que temos 15,5 milhões de pessoas na zona rural do Nordeste, afirmando que só em Pernambuco são 2,0 milhões de pessoas em sítios, pés de serra e beiras de rios. Só a zona rural de Petrolina e Juazeiro da Bahia (separadas apenas pelo Rio São Francisco) soma 105.000 pessoas. Na Bahia temos um universo de 4,7 milhões de pessoas na zona rural. Irmãos creio que precisamos de um avivamento. Um avivamento que seja capaz de abalar nossas estruturas e nos fazer relevar o que hoje é relevante por amor a Cristo, sem discurso e sem fantasia, mas dispostos a morrer para nós mesmos, para podermos então vivermos para Cristo para podermos servi-Lo nos campos rachados do Sertão Nordestino.

Chuva no Sertão Nordestino

Glória a Deus!!!

Não sei se você está orando, mas o SENHOR tem ouvido as vozes dos justos que oram por chuva no sertão.
Chove a quase 1h aqui na cidade de Currais Novos Rn.
Continuem a orar para que muitas e muitas outras chuvas caíam aqui neste lugar, os reservatórios de quase toda a região estão com menos de 20% de toda a sua capacidade e alguns até já secaram, mas eu creio no Deus do impossível que mudará essa situação em breve.



Até aqui nos ajudou o Senhor (carta informativa)

 “Até aqui nos ajudou o Senhor” 1 Samuel 7.12

Que a paz de Cristo esteja com você, querido mantenedor e intercessor.

É muito bom podermos chegar a mais uma carta informativa dizendo que o Senhor tem nos ajudado. Para glória de Deus estamos bem.

Estamos separando este tempo para compartilhar as novidades de nossa caminhada rumo às comunidades do Sertão Nordestino dos trabalhos realizados na congregação de Currais Novos e também desafios e alvos de oração, nos quais juntos poderemos realizar muito mais em prol do reino de Deus.

Os relatos não são bons, pois a situação é realmente muito triste. Dentre os muitos aspectos apresentados aqui na região do Nordeste o que mais se destaca é a seca, causada pela escassez de chuvas, proporcionando pobreza e fome. Conhecemos muitas comunidades rurais e quilombolas que não ha um crente sequer e não são poucas as pessoas que nunca viram uma Bíblia e não ouviram falar de Jesus. Além disso, ha também grande índice de analfabetismo, falta das condições básicas para viver, muitos não tem energia elétrica nem água encanada. Na região, existem inúmeros povoados, e pequenas cidades que não possuem uma igreja, e ainda outras em que há muitas dificuldades de se pregar o Evangelho com eficiência.
O que fazer com essas informações: clamar pela misericórdia do Senhor com a sua ajuda e da igreja brasileira para juntos tentamos reverter esse quadro.

Tenho um sonho de ver o Evangelho de Jesus sendo pregado a cada povoado e vilarejo, alcançando assim, todo o Sertão para o Reino de Deus.

No último mês de janeiro analisando nossa situação junto ao propósito inicial de voltarmos às comunidades, decidimos continuar em oração e intercessão por nossas vidas, sustento pessoal e ministerial e para que possamos ir com mais frequência até as comunidades, esse tem sido nosso maior desafio durante os anos. Sempre em todos os anos no período de Dezembro a março as contribuições são relativamente baixas.
Com a graça de Deus, nos últimos meses recebemos a notícia que fomos adotados por algumas igrejas e irmãos do Brasil e até de outros países, que começaram a investir em nós como intercessores e mantenedores, não são grandes contribuições como muitos talvez até pensem, mas esses irmãos tem sido fieis no pouco que o Senhor concedeu as vossas mãos para nos apoiar nesta obra, são muitas as necessidades diárias, não conseguimos suprir tudo mas temos consigo suprir algumas delas na congregação em Currais Novos e parte do nosso sustento familiar.

Ainda estamos em oração pelo nosso sustento, pois queremos se envolver mais com o trabalho do sertão com mais dedicação.

Para nossos novos amigos/irmãos conhecerem onde estão investindo e os velhos amigos acompanharem o andamento do trabalho, queremos compartilhar um pouco do que foi realizado ao longo desses anos. Tributamos a Deus toda honra pelo que pode ser realizado e pela graça que nos concedeu. Nesses quase 05 anos no campo missionário podemos dizer como o salmista:
“Grandes coisas fez o senhor por nós e por isso estamos alegres”. Salmos 126:3

Plantação de Igrejas – há dois anos participamos da plantação da congregação de Currais Novos a qual estamos à frente atualmente, não temos prédio fixo, pagamos aluguel da congregação e casa missionária, a compra de um terreno e construção de um templo é um de nossos desafios aqui, a congregação se encontra em um lugar um pouco complicado na cidade, próximo a cracolândia, centros de macumbas e prostibulo, hoje para glória do Senhor Jesus, contamos com 40 crentes em Cristo Jesus que seguido a caminhada ao nosso lado, fazendo com que o reino de Deus aqui neste lugar cresça a cada dia.

Viagens Missionárias: Constantemente realizamos viagens para o sertão ou cidades nordestinas para pregar o evangelho de Jesus, entregar cestas básicas a famílias carentes vítimas da seca, apoiar pastores, missionários ou obreiros que estejam em comunidades com bíblias, material infantil e sustento pessoal.
Algumas das comunidades, como a Coroas Limpas na cidade de Santana do Matos aqui no RN e algumas vizinhas estão somando cerca de 20 novos irmãos em Cristo que são acompanhados por algumas igrejas locais o qual temos realizado parceria para o desenvolvimento do reino de Deus.

Com tudo isso, compreendemos que em quase cinco anos estamos vendo o quanto trabalho onde podemos ver a mão de Deus em cada detalhe. Está sendo um tempo de grande aprendizado que enfrentamos com lutas e vitórias. Não é fácil, passamos momentos de tribulação, desde os desafios de adaptação, dificuldades financeiras, lutas pessoas, problemas de saúde, mas em tudo, podemos dizer que “somos mais que vencedores por aquele que nos amou e se entregou por nós”.

A anos tenho dedicado o ministério em cima de uma palavra que me tocou fortemente no inicio da minha caminhada no sertão:
“Aquele que leva A PRECIOSA SEMENTE, andando e chorando, voltará, SEM DÚVIDA, com ALEGRIA, trazendo consigo os seus MOLHOS".  Salmo. 126.6
E nisto tenho crido todos os dias de minha vida.

Sabemos que nada disso seria possível sem o apoio de vocês, nossos amigos, parceiros de oração, intercessores, mantenedores. Igrejas e pessoas que não desistem de nós, apesar da distancia e muitas vezes da falta de notícias.
Este relatório é uma prestação de contas para você, que faz parte desse ministério, lembrando que a obra missionária se faz com os pés de quem vai, os joelhos dos que oram as mãos dos que contribuem. Não é uma despedida, nem simplesmente um muito obrigado, mas o recomeço de novos desafios. Estamos elaborando um novo plano de trabalho para os próximos três anos (2014/2016), mas só conseguiremos realiza-los com a graça do Senhor Deus e se pudermos continuar contanto com seu apoio. Temos um grande desafio que é a recuperação no nosso sustento missionário e recursos para realizar aquilo que o Senhor tem colocado em nosso coração. Precisaremos de recursos para mais viagens ao sertão, como aluguel do carro e combustível, cestas básicas, compra de água em carros pipas e também materiais de trabalho e equipamentos.

O planejamento está sendo concluído e após alguns dias de orações e analisado e aprovado enviaremos para vocês, para conhecimento, oração e apoio.

Agora nossa palavra é de gratidão, a Deus por tudo que tem nos proporcionado a novas igrejas que nos adotaram e a você pela confiança e o apoio que se prontificaram a depositar em nós e no trabalho missionário que estamos desenvolvendo no nordeste brasileiro. Queremos dizer que todo tipo de apoio é importante, porém a oração dos irmãos por nossas vidas é fundamental permanecermos firmes no propósito do Senhor. O complemento no sustento missionário é resposta de oração para o direcionamento de nossos próximos anos no campo.
Queremos dizer que estamos abertos para um diálogo, para qualquer tipo de informação, visitas em nossa casa em Currais Novos, ou nos campos missionários no sertão. Seria uma honra receber os irmãos para mostrar um pouco do trabalho e partilhar da comunhão que Cristo nos proporciona. Inclusive temos uma boa oportunidade neste ano que é o primeiro ano que vamos realizar o projeto “Missionário Amigo” que acontecerá em julho deste ano, aqui no sertão.

Motivos de oração:
• Por uma mobilização de todos os cadastros de mantenedores e intercessores em relação a uma ação conjunta em participação financeira e intercessão;
• Por novos parceiros financeiros e por um processo de estabilidade no orçamento mensal;
Por um transporte (carro) para a realização dos trabalhos nas comunidades;
• Por nossa saúde física e espiritualidade;
• Por nossa agenda de compromissos nos próximos meses;
• Pela vida espiritual das almas resgatas no sertão;
Pela congregação em Currais Novos;
Pela resposta de Deus para nossos próximos anos de trabalho;
Pelo projeto Missionário Amigo no mês de julho;
Pelos mantenedores e intercessores;

Agradecemos a Deus por todas as pessoas e igrejas que tem contribuído com nosso ministério.

Clique na imagem para ampliar




Ação amor. URGENTE!


Amados leitores e mantenedores do projeto Missões no Sertão, estamos com uma família de nossa congregação precisando da ajuda de todos neste momento.

Eles são agricultores, mas devido os problemas com a seca em nossa região, esse casal com os seus 7 filhos, sendo o mais velho de idade de 14 anos, vieram para a cidade e estão precisando da cooperação da igreja neste comento.
Temos ajudado eles mensalmente com cestas básicas até eles conseguirem se manter na cidade ou começar as chuvas e os irmãos poderem voltar para o campo, ajudamos também mais três famílias em situações bem parecidas, mas devido a a falta de contribuições que acontece todo inicio de ano, estamos impossibilitados no momento de cooperar. Eles estão desempregados e com a luz da pequena casa que alugaram aqui na cidade, a qual pagam por uma ajuda mensal do governo que recebem, está cortada com 3 papeis atrazados que somam um valor de R$ 130,00.

Esteja conosco nesta ação, nos ajude neste propósito.

Que a graça e a paz do Senhor e Salvador Jesus Cristo continue a vos abençoar sempre.
Em Cristo,
Miss. Renato Magnus

Conta para contribuição
Caixa Economica Federal
Ag. 0805 Op. 003 Cc. 368-0
Renato Magnus de Souza Costa
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Trilhas Missionarias